Fonoaudiologia e Cirurgia Ortognática – Qual a relação?

Paciente em consulta de Fonoaudiologia com médica especialista - Cirurgia Ortognática

A Fonoaudiologia tem várias áreas de especialidade, entre elas a Motricidade Orofacial. Essa é a área que trata dos pacientes de cirurgia ortognática. O tratamento é um processo muscular, funcional e principalmente educativo voltado para todas as mudanças que a cirurgia traz ao paciente.

Quais os objetivos da Fonoaudiologia para quem faz cirurgia ortognática?

Basicamente, há 2 objetivos na abordagem fonoaudiológica para quem vai fazer ou já fez a cirurgia:

1. Acelerar a recuperação no pós-operatório precoce

Busca a melhora dos desconfortos do pós-operatório para ser mais rápido. O edema e a diminuição da sensibilidade, ambos temporários, dificultam os movimentos e a funcionalidade para falar, fechar lábios, se alimentar, sugar e engolir saliva.

O objetivo é reduzir o edema mais rapidamente para retomar os movimentos da musculatura da face, orientar e facilitar a ingestão dos alimentos na fase de líquidos e pastosos (evitando babar ou perder alimento), aumentar a movimentação utilizada na fala e deglutição e, além disso, começar a direcionar os movimentos da mandíbula.

2. Organizar a musculatura e a funcionalidade corrigindo eventuais dificuldades específicas musculares

Esse é o objetivo mais específico e focado na organização dos novos padrões funcionais para que fiquem adequados a cada tipo de correção cirúrgica realizada ou para a correção de funções inadequadas (respiração, posição de apoio da língua, sucção, mastigação, deglutição e articulação da fala).

Ainda nessa etapa, eventuais alterações dos músculos e da sensibilidade poderão ser trabalhadas.

 

Precisa de avaliação antes e depois da cirurgia? Como funciona?

Para a abordagem fonoaudiológica ideal é importante realizar a avaliação pré-cirúrgica para conhecer, analisar e diagnosticar como é a musculatura e como são realizadas as funções de respiração, fala, mastigação e deglutição na presença da desproporção óssea.

Nessa avaliação pré-cirúrgica buscamos determinar se a musculatura é mais firme ou mais flácida; mais robusta ou mais delgada; coordenada ou descoordenada, com pontos de dor, sobrecarga funcional, má postura de língua ou de lábios etc. Não é necessário tratar antes da cirurgia.

Essas informações serão fornecidas ao cirurgião antes da cirurgia, para que a programação cirúrgica seja ainda mais precisa, considerando as características da musculatura.

Entre 7 a 12 dias após a cirurgia o paciente retorna para uma reavaliação e início dos procedimentos. Nesse momento pós-cirúrgico são analisadas as dificuldades funcionais iniciais e como a musculatura está reagindo à mudança estrutural. Os primeiros procedimentos são realizados e indicados principalmente para acelerar a recuperação no pós-operatório precoce.

 

Como é o tratamento de fonoaudiologia?

O tratamento é programado individualmente de acordo com o tipo de cirurgia, condição muscular e funcional. É feito com a frequência usual de 1 sessão por semana, com o direcionamento do fonoaudiólogo. Em alguns casos específicos, 2 sessões por semana podem ser necessárias nas 2 primeiras semanas.

Cada sessão de terapia fonoaudiológica tem a duração de 45 minutos a 1h. Todos os procedimentos são treinados na terapia e devem ser realizadas em casa diariamente. Além da drenagem manual do edema e vascularização da musculatura, são realizadas três atividades:

1. EXERCÍCIOS

Eles dão o preparo e coordenação para a musculatura conseguir realizar as funções de respiração, mastigação, deglutição e articulação da fala corretamente. Eles serão escolhidos especificamente para o seu caso dependendo do objetivo a ser alcançado.

2. TREINOS FUNCIONAIS

Realização orientada e controlada de determinada função, por exemplo: posição correta da língua no repouso e na deglutição, controle da saliva durante a fala, organização dos movimentos utilizados na fala e no sorriso, respiração nasal e todas as outras funções da boca.

3. PERCEPÇÃO E USO FUNCIONAL CORRETO

Estimulação das regiões com sensibilidade reduzida e direcionamento de compensações se for necessário, percepção de como está realizando determinada função e modificação ativa desse comportamento. Ou seja: perceber como está fazendo e o que será preciso corrigir. Nessa parte trabalhamos diretamente com alimentos (líquidos, pastosos e posteriormente sólidos) e com a fala.

O tratamento fonoaudiológico é um processo gradativo e individual. De maneira geral, o tratamento sistemático (uma vez por semana) dura de 10 a 16 sessões. Dependendo da evolução do caso, são realizadas sessões quinzenais ou mensais até a sua estabilidade final.

Quais são os benefícios?

Atualmente os pacientes têm que voltar às suas atividades profissionais pouco tempo após a cirurgia e, portanto, a recuperação mais rápida é um importante benefício e faz uma grande diferença. Além disso, a correção dos padrões funcionais de respirar, posicionar corretamente a língua, mastigar, engolir e falar proporciona maior estabilidade final do caso, evitando problemas causados pela musculatura que podem prejudicar os resultados do procedimento.

O tratamento fonoaudiológico não é apenas a realização de exercícios. Eles não corrigem a maneira de mastigar, engolir e falar. Vale ressaltar que, dependendo do tipo de cirurgia realizada, alguns exercícios são até mesmo contraindicados.

O principal benefício da fonoaudiologia é a estabilidade funcional.

Recomendamos você a sempre buscar bons profissionais para realizarem um diagnóstico correto e cuidar muito bem de sua saúde.

Nos acompanhe também no Instagram e página no Facebook.

Dra. Esther M. G. Bianchini

Fonoaudióloga

CRFa: 1773/SP

Especialista em Motricidade Orofacial e Doutora em Ciências: Fisiopatologia Experimental pela FMUSP

E-mail: esther@estherbianchinifono.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *