Fazer a documentação ortodôntica é fundamental para que o tratamento seja um sucesso. De fato, ao ter todos os exames detalhados do paciente reunidos em um mesmo documento, o cirurgião-dentista consegue realizar um correto diagnóstico e tomar decisões baseadas em informações qualificadas, além de estabelecer uma relação de confiança entre cirurgião, ortodontista e paciente.

A partir desses exames, torna-se mais simples definir o tratamento mais eficiente e individualizado para o paciente.

Quer saber mais? Vamos tirar suas dúvidas sobre documentação ortodôntica e como ela é importante para o profissional. Acompanhe!

ENTENDA O QUE É DOCUMENTAÇÃO ORTODÔNTICA

A documentação ortodôntica representa uma série de exames que ajudam o cirurgião dentista a identificar qual o melhor tratamento para cada paciente. Durante o tratamento, a documentação tem o objetivo de reunir informações detalhadas e maior entendimento do caso para potencializar os resultados.

Outro ponto interessante é que, com esse material, também é possível acompanhar a evolução do caso, ao mesmo tempo em que se pode tomar decisões conforme o perfil de cada paciente. Os exames pedidos aqui mostram, entre outras coisas, de maneira detalhada, a arcada dentária e sua importante relação com os ossos do crânio.

IMPORTÂNCIA

A documentação ortodôntica é essencial para encontrar o diagnóstico e acompanhar o quadro de evolução. Portanto, esse acompanhamento se torna obrigatório antes de iniciar qualquer tipo de tratamento, para que o cirurgião-dentista possa identificar algumas particularidades que podem interferir no processo.

Por exemplo, a partir dos resultados dos exames solicitados, é possível verificar e tratar cáries que não são visíveis em uma primeira avaliação. Caso elas continuem a evoluir, podem comprometer a estrutura dentária e colocar todo o tratamento realizado em risco. Em função disso, se o profissional deixa de solicitar a documentação, coloca em risco a saúde do paciente.

Sem contar que esse tipo de controle também se mostra essencial pela rapidez na hora de consultar as informações, especialmente em situações em que é necessário usar aparelho ortodôntico ou existem muitos problemas para serem tratados ao mesmo tempo, que interferem na qualidade de vida dos pacientes.

MAPEAMENTO DOS PROBLEMAS

A área odontológica tem uma série de tecnologias disponíveis para facilitar o trabalho do profissional e tornar o tratamento mais eficiente e confortável possível. Dessa maneira, a documentação ortodôntica permite a verificação de quadros mais complexos, por meio de radiografias e modelos em gesso das arcadas dentárias, como anomalias na relação entre as arcadas dentárias, desnivelamentos e desalinhamentos dentários, dentre outras alterações.

O diagnóstico, a partir disso, se torna bastante individualizado e muito mais rápido. Como resultado, antes de optar por uma cirurgia, por exemplo, o profissional consegue ser muito claro com o paciente. Além de tomar medidas especiais durante o tratamento e que vão influenciar positivamente no resultado cirúrgico.

EVITAR ERROS

Com todas as informações do quadro em mãos, fica mais simples evitar erros e fazer procedimentos que acabam não sendo necessários no fim das contas. Assim, o processo de tratamento torna-se mais objetivo e acontece com maior rapidez pelo conjunto de exames extremamente moderno. Esses detalhes se mostram fundamentais no momento de construir uma relação de confiança entre ambos, com foco no sucesso do tratamento.

AVALIE QUAIS EXAMES SÃO PEDIDOS

Quando o profissional solicita a documentação ortodôntica, alguns pacientes podem ficar com receio pela quantidade de exames. No entanto, os exames não causam dor e podem ser realizados de maneira rápida.

O mais importante é que tudo seja explicado detalhadamente, para que o paciente tenha confiança e colabore com o trabalho do profissional. Veja, a seguir, quais são os principais exames solicitados!

MODELOS EM GESSO DAS ARCADAS DENTÁRIAS

Os modelos em gesso funcionam como uma réplica das arcadas dentárias de cada pessoa. Assim, o cirurgião dentista consegue avaliar o caso com boas proporções dos detalhes e identificar problemas que podem não ser vistos na boca do paciente. É possível ter acesso ao posicionamento dos dentes, tamanhos, inclinações, formato da mordida, se é cruzada ou sobra espaço para alinhar os dentes, entre outros.

TELERADIOGRAFIA EM NORMA LATERAL

Esse exame permite ver com exatidão o desenvolvimento da face lateral do paciente e a relação do posicionamento dos dentes com os demais ossos do crânio. Normalmente, costuma ser indicado aos pacientes mais jovens que chegam para tratamento ou para quem vai passar por intervenção cirúrgica.

RADIOGRAFIA PERIAPICAL

A radiografia periapical é indicada para os dentes da frente que costumam ser responsáveis por iniciar a mastigação. São 4 superiores e 4 inferiores. Logo, pelos resultados do exame, o cirurgião dentista consegue identificar se existe algum problema ou comprometimento com as raízes dos dentes.

Além disso, o exame também pode ser solicitado ao longo do tratamento, pois os incisivos podem passar por reabsorções radiculares.

PANORÂMICA

A radiografia panorâmica permite diagnosticar a localização e a presença de cada dente na arcada dentária. Aqui, é mais simples avaliar os dentes que estão fora de posição ou que ainda estão em processo de desenvolvimento. Sem contar que a panorâmica também ajuda a diagnosticar problemas de saúde, como tumores ou lesões. Além disso, outra importante aplicação desse exame é na avaliação dos dentes do siso, que muitas vezes necessitam ser extraídos para dar andamento ao tratamento.

ANÁLISE CEFALOMÉTRICA

O foco do exame é avaliar a posição dos dentes, do crânio e dos ossos da face de maneira geral. Ele pode ser solicitado em qualquer estágio do tratamento, até mesmo no prognóstico, sendo indispensável no planejamento de má oclusão em relação ao alinhamento incorreto dos dentes superiores diante dos inferiores.

FOTOGRAFIAS EXTRABUCAIS E INTRABUCAIS

As fotografias tiradas das partes externas e internas da boca permitem que os dentistas estudem o caso dos pacientes por meio de equipamentos de profissionais de registros de imagens. Dessa maneira, são usadas lentes especiais e extremamente realistas que ajudam a captar cada detalhe de frente, de perfil e no sorriso.

No caso das fotos intrabucais, torna-se possível ver o posicionamento de cada dente e as demais estruturas bucais. Também se torna mais simples avaliar outros fatores importantes, como gengivas, restaurações e próteses. Já nas imagens extrabucais, o profissional pode fazer uma análise facial para entender o efeito dos problemas bucais no rosto e na qualidade de vida do paciente.

Pronto! Agora você já sabe o que é documentação ortodôntica e como fazê-la. O grande segredo, em uma situação como essa, é ter plena consciência de que o paciente também precisa estar comprometido com o tratamento ao buscar por uma clínica experiente no assunto e que seja referência no mercado. Só assim será possível que os exames solicitados tragam mais rapidez ao diagnóstico e potencializem os resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *