Saber o que é bruxismo faz muita diferença na hora de buscar o tratamento correto. A maioria dos pacientes demora a identificar o hábito de ranger os dentes, especialmente quando não faz visitas frequentes ao cirurgião-dentista.

O mais importante, nesse caso, é entender como esse hábito parafuncional atua e identificar os primeiros sinais para iniciar o tratamento de forma segura e rápida. Assim, fica mais simples evitar desgastes nos dentes e cuidar da saúde de maneira geral.

Quer saber mais? Vamos tirar todas as suas dúvidas sobre bruxismo e como tratá-lo corretamente. Acompanhe abaixo.

1. O QUE É BRUXISMO?

Bruxismo é uma atividade da musculatura mastigatória caracterizada por encostar, comprimir ou ranger os dentes, ou manter os músculos da face contraídos na mesma posição, cuja origem se dá no sistema nervoso central. O bruxismo pode acontecer durante o sono ou quando estamos acordados.

2. DIFERENÇAS ENTRE BRUXISMO E APERTAMENTO DENTAL

O apertamento dental é um tipo de bruxismo, que chamamos de bruxismo em vigília, ou seja, acontece quando estamos acordados. Nesse tipo de bruxismo, o paciente pode apertar e/ou encostar os dentes por horas, principalmente se estiver executando atividades que exijam concentração. Vamos citar alguns exemplos: você pode apertar os dentes durante a leitura, realizando uma prova do vestibular, jogando vídeo game, assistindo televisão, dirigindo um automóvel, dentre outras atividades. A contração da musculatura constante pode levar às dores musculares que aparecem no final do dia.

Já o bruxismo que ocorre enquanto estamos dormindo é considerado um distúrbio de movimento relacionado ao sono. Esse tipo de bruxismo é caracterizado pelo ranger de dentes, não é contínuo como o apertamento dental, pois acontece em movimentos estereotipados durante alguns minutos do sono leve.

O paciente com o sono perturbado se sente cansado na manhã seguinte e tem dificuldade em realizar suas funções cotidianas, especialmente quando envolvem memória ou concentração. Pode ocorrer limitação do movimento de abrir e fechar a boca ao acordar, sensação de dentes doloridos ou cansaço na mandíbula.

Agora, quando o quadro evolui, os dentes são prejudicados significativamente. Toda a pressão colocada no local pode levar a desgastes mais importantes e até mesmo à fratura da coroa ou da raiz do dente, em alguns casos culminando na necessidade de realizar um implante.

3. QUAIS AS POSSÍVEIS CAUSAS?

O bruxismo é frequentemente associado aos quadros de estresse e ansiedade. No entanto, suas causas exatas ainda são desconhecidas e os especialistas relatam os fatores que podem desencadear o problema, além da genética. As questões emocionais aparecem como ponto em comum na maioria dos pacientes que sofrem com esse tipo de disfunção.

Os sintomas podem se agravar quando aumentam as situações de pressão e nervosismo, como ao ser demitido do emprego, sofrer uma perda na família ou enfrentar crises em relacionamentos. A pandemia de COVID-19 nos mostrou que o aumento da ansiedade, do estresse, a piora na qualidade do sono e a mudança de estilo de vida com o isolamento social tiveram impacto direto no aumento do número de casos de bruxismo.

4.IDADE

As crianças também sofrem com bruxismo, sendo um problema comum entre os pequenos. O quadro surge entre 6 e 7 anos, mas tendem a desaparecer sem nenhum tratamento durante a adolescência. Na maioria dos casos, o bruxismo infantil está relacionado aos problemas respiratórios.

5.HÁBITOS PREJUDICIAIS

O bruxismo do sono hoje em dia é classificado como primário, quando não está relacionado a nenhuma alteração ou doença pré-existente, ou secundário, relacionado a alguns tipos de medicações e/ou comorbidades.

Medicações da classe dos inibidores seletivos da recaptação de serotonina (fluoxetina, paroxetina, venlafaxina, sertralina, escitalopram, entre outors) e comorbidades como doença de Parkinson, distúrbios respiratórios (ronco e apnéia obstrutiva do sono) e refluxo gastroesofágico também podem estar relacionadas ao bruxismo secundário.

Alguns hábitos são prejudiciais e funcionam como gatilhos para o bruxismo. O consumo excessivo de substâncias estimulantes é o principal deles. Entre as principais estão cafeína, nicotina, álcool e outras drogas ilícitas.

6. QUAIS OS SINTOMAS?

É importante saber que há pessoas com bruxismo do sono e/ou apertamento dental e que não apresentam o sintoma clássico de dor. O fato de ter um hábito parafuncional não implica necessariamente em apresentar um quadro de dor, porém é frequente encontrar pacientes com Disfunção Temporomandibular (DTM) e que apresentam essa queixa.

A DTM é definida como um conjunto de distúrbios que envolvem os músculos mastigatórios, a articulação temporomandibular (ATM) e estruturas associadas. Os sinais e sintomas mais frequentes estão listados a seguir:

●      dores na face (região de ATMs e músculos mastigatórios);

●      dores de cabeça;

●      zumbido no ouvido;

●      tontura e vertigem;

●      ouvido tampado (plenitude auricular);

●      estalos ao abrir e fechar a boca;

Instagram Neo Face

●      limitação da abertura bucal.

Como os sintomas da DTM são comuns a várias outras patologias, você precisa ter atenção especial para identificá-los e procurar por seu dentista de confiança no momento certo. Muitas vezes, o tratamento adequado demora a ser realizado pela falta de diagnóstico, pois o paciente procura por outros especialistas, como otorrinoloringologistas e neurologistas.

7.COMO É REALIZADO O DIAGNÓSTICO?

É importante ter uma consulta com um especialista da área de DTM para uma investigação aprofundada sobre os hábitos. Por meio de questionários, diários e aplicativos, é possível identificar sinais e sintomas sugestivos de hábitos parafuncionais ativos, como o bruxismo do sono e o apertamento dental, bem como avaliar a saúde em geral e verificar possíveis fatores secundários presentes na história do paciente.

8.COMO É O TRATAMENTO?

É difícil falar sobre um tratamento que cure definitivamente o bruxismo. Até o presente momento, não temos na ciência um único medicamento que simplesmente faça o hábito cessar, já que sua causa é multifatorial. Por isso, o controle do hábito se faz tão importante ao longo da vida do paciente.

O tratamento pode ser feito com o especialista em DTM, mas muitas vezes é necessário lançar mão de tratamento multidisciplinar.

Se o paciente apresentar bruxismo secundário, por exemplo, o controle destes fatores que desencadeiam o bruxismo é essencial para ter sucesso no tratamento.

A conscientização do hábito quando estamos acordados, ou seja, durante o bruxismo em vigília, se dá por meio de mecanismos cognitivos. Hoje em dia existem aplicativos de celular que permitem esse controle.

No caso de bruxismo do sono primário é necessário o uso de dispositivos intraorais como a placa estabilizadora oclusal, investir na higiene do sono e realizar mudanças visando um estilo de vida mais saudável.

Atualmente a aplicação de toxina botulínica não é o tratamento de primeira escolha e deve ser indicado em casos específicos e/ou que não respondem às terapias convencionais.

9.PLACAS OCLUSAIS

A placa para controle do bruxismo, também chamada de placa estabilizadora oclusal, é utilizada para restabelecimento de uma oclusão ideal, além de alteração na percepção periodontal, relaxamento muscular indireto e alteração cognitiva. Além de proteger os dentes evitando desgastes e fraturas, esse tipo de dispositivo também descomprime a ATM, aliviando a carga excessiva nessa região.

As placas oclusais podem ser fabricadas em materiais rígidos (de acrílico) ou macios (polipropileno muito parecidos com o silicone). O design de cada placa deve ser específico conforme as necessidades do paciente, porém as placas rígidas são as mais indicadas para os casos de bruxismo, pois são estáveis e passíveis de ajustes durante o tratamento, enquanto as placas de silicone são instáveis e podem piorar quadros de dor muscular devido à flexibilidade do material.

Apesar do uso mais frequente durante o sono, as placas também podem ser usadas durante o dia, dependendo da indicação de cada caso. Vale lembrar que a placa de bruxismo não trata sozinha o hábito e a conscientização é fundamental para promover mudanças.

É de extrema importância realizar o acompanhamento após a instalação da placa, pois ao longo do tempo a placa pode sofrer desgastes e desadaptações, gerando problemas para a mordida. Assim, é importante o comparecimento às consultas agendadas.

10.TEMPO DE TRATAMENTO COM A PLACA DE BRUXISMO

Muitos pacientes têm dúvidas sobre o tempo necessário para o tratamento com a placa de bruxismo. Considere, aqui, que o tempo médio de confecção da placa após retirar o molde da arcada dentário com o cirurgião dentista é de uma semana. Depois da instalação da placa, pode ser necessário realizar alguns ajustes para que fique confortável.

Cada profissional, após esse período de adaptação, planeja conforme as condições do bruxismo as consultas periódicas de retorno. Dessa maneira, elas podem ser desde mensais até semestrais. Não existe um padrão que defina o tempo de tratamento de um paciente com bruxismo, tudo depende, na verdade, de vários fatores definidos em consultório.

11.MUDANÇAS DE HÁBITOS

Além da inclusão da placa para o bruxismo na rotina do paciente, é necessário mudar alguns hábitos. Regularizar o sono, fazer atividade física, buscar ajuda profissional de um psicólogo para lidar com as questões estressantes e existenciais, meditar, aprender técnicas de relaxamento e ter um vida social equilibrada são pontos muito importantes que merecem atenção durante o tratamento.

12.ASTROSCOPIA DE ATM

O tratamento cirúrgico da ATM é indicado em casos mais avançados, nos quais já houve tratamento clínico sem resultado satisfatório ou quando há algum importante comprometimento da ATM devido às suas alterações anatômicas causadas ou potencializadas pela sobrecarga gerada pelos hábitos parafuncionais.

Pode ser necessário optar pela Artroscopia de ATM, uma cirurgia endoscópica minimamente invasiva na qual uma câmera de vídeo é colocada dentro da articulação e assim pode-se melhorar a funcionalidade da mesma, cauterizando inflamações e derrames na cápsula articular, reposicionando o disco articular para seu adequado funcionamento.

O procedimento é indicado quando o paciente apresenta um comprometimento importante da função mastigatória e da qualidade de vida, como dores intensas na ATM, estalos, travamento da boca, impossibilidade de falar, mastigar e deglutir com conforto.

Para o cuidado com o paciente se preconiza, primeiramente, o procedimento mais conservador possível, porém quando o paciente não responde bem aos tratamentos clínicos convencionais, faz-se necessário abordar cirurgicamente os problemas e tratá-los.

Agora você já sabe o que é bruxismo e como tratá-lo de maneira eficiente. O mais importante ao notar os primeiros sinais de desconforto na região é procurar por um cirurgião-dentista de confiança para obter o diagnóstico correto e, em conjunto com o profissional, identificar quais fatores desencadeiam essa condição e como tratá-la.

Gostou das informações do artigo? Então, entre em contato conosco para conhecer os tratamentos personalizados para ajudar no bruxismo.

Agendar consulta Neo Face

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *