Disfunção da ATM - entenda o que é e qual a importância do tratamento - Blog da Neo Face

Dores ao abrir ou fechar a boca são algo comum para você? Quem sabe aquela sensação de estalos na mandíbula ou impressão da região totalmente travada? Incômodos na boca podem ser algo normal. Porém, se você está sofrendo com essas questões constantemente, pode ser que esteja com uma Disfunção Temporomandibular (DTM), a qual afeta diretamente a Articulação Temporomandibular (ATM).

Muitas dores dentais são causadas pelo estresse na mandíbula, fazendo com que o indivíduo aperte demais a região e sofra com uma disfunção da ATM. Essa articulação é a responsável por prender o maxilar inferior ao crânio, permitindo que você consiga abrir e fechar a boca normalmente, seja ao falar, mastigar ou bocejar.

Porém, apesar de parecer complexo, não é preciso se preocupar. Esse é um problema muito mais comum do que você imagina. Por isso, neste artigo, você conhecerá de fato o que é essa disfunção da ATM, quais são os seus principais sintomas, causas e como tratar este transtorno de modo eficiente, se livrando das dores e incômodo. Confira para descobrir tudo!

O que é a disfunção da ATM?

A disfunção da ATM é um grupo de várias condições causadas por dores dentro e em volta da Articulação Temporomandibular, responsável por ligar a mandíbula (maxilar inferior) ao osso temporal do crânio, que fica localizado à frente das orelhas. Por ser uma articulação, ela permite que você mastigue, morda e fale diariamente. Além disso, os músculos da região controlam a posição e a movimentação da mandíbula.

Na maioria dos casos, a disfunção está relacionada a hábitos comuns, como o apertamento dentário, roer unhas, morder ou mastigar objetos estranhos, chicletes, prender o telefone contra o queixo, postura incorreta, além de fatores relacionados com a depressão, estresse, ansiedade ou eventos traumáticos.

Segundo um estudo recente, quase 69% das pessoas podem apresentar algum sintoma relacionado com a DTM ao longo da vida, sendo que, aproximadamente, 15% necessitará de tratamento específico para diminuir o incômodo e melhorar a qualidade de vida. Por isso, é fundamental entender as suas causas e possíveis tratamentos em cada cenário.

O que causa a disfunção da ATM?

O diagnóstico da disfunção da ATM pode ser bastante complexo e, em muitos casos, os motivos para o surgimento do transtorno são desconhecidos. Apesar da dificuldade de pontuar uma causa e frequentemente elas estarem interligadas entre si, majoritariamente elas estão relacionadas com algumas questões. Vamos entender quais são as principais.

Bruxismo

O bruxismo pode causar sérios danos à saúde bucal, sendo considerado uma das principais causas de disfunção da ATM. Esse processo de ranger ou apertar os dentes enquanto você não está mastigando desgasta a região e ainda cria uma tensão na musculatura — sendo comumente associado ao estresse e à ansiedade. Além disso, a maioria das pessoas cerra os dentes durante o sono e não tem consciência disso.

Disfunções temporomandibulares

As disfunções temporomandibulares (DTM) afetam diretamente a ATM, como já vimos. Além de bastante desconforto na região, o transtorno também faz com que a mandíbula emita um som de estalo ao abrir e fechar a boca ou até mesmo mastigar alimentos. Em casos mais graves, pode haver um travamento permanente do maxilar.

É importante frisar que, para a realização do diagnóstico, o profissional poderá solicitar vários exames, como radiografia odontológica da mandíbula, tomografia e ressonância magnética. Por isso, é essencial ir ao dentista regularmente, avisando o especialista caso você sinta algum desconforto ou sintoma.

Não há uma única causa para esse problema, sendo ele altamente multifatorial. É comum o mesmo paciente ter origens variadas contribuindo para a existência da DTM. A seguir, veremos algumas das mais comuns:

  • desgastes e queda dos dentes;
  • problemas no alinhamento dentário (dentes tortos);
  • presença de cáries ou de doenças periodontais;
  • bruxismo;
  • lesões e traumas;
  • Hábitos incorretos (como apoiar o queixo nas mãos, causando uma tensão forte na mandíbula);
  • desgastes ósseos ou musculares;
  • uso prolongado de chupeta, o hábito de chupar dedo, entre outros.

Quais são os fatores de risco para o problema?

Além das causas mais comuns mencionadas, podemos citar alguns fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento desses distúrbios:

  • uso prolongado de aparelhos ortodônticos;
  • postura incorreta, trazendo uma sobrecarga para a região do pescoço e da face;
  • má alimentação;
  • baixa qualidade de sono;
  • exposição frequente ao estresse.

Quais os principais sintomas?

O sintoma principal e mais comum relacionado à disfunção da ATM é a dor na região. Geralmente, esse desconforto é descrito pelos pacientes como uma pontada na articulação do maxilar e seu redor, incluindo dores de ouvido. Algumas pessoas não relatam dor, mas, mesmo assim, apresentam o transtorno. Por isso, outros sintomas incluem:

  1. audição prejudicada;
  2. dores de cabeça crônicas ou passageiras;
  3. dores nos ombros e pescoço;
  4. maxilar bloqueado;
  5. mordida que parece “errada”;
  6. movimentação limitada;
  7. músculos rígidos ou inchaço da mandíbula;
  8. pressão, som de eco ou dor nos ouvidos;
  9. problemas de visão e tontura;
  10. sensação de clique, atrito ou desencaixe ao abrir e fechar a boca;
  11. sensibilidade nos dentes.

Existe uma maneira de prevenir a disfunção da ATM?

Assim como muitos outros problemas que afetam o nosso organismo, adotar um estilo de vida saudável com uma alimentação regrada é uma ótima maneira de prevenir esses transtornos. Evite, sempre que possível, esforço ou sobrecarga intensa na articulação, como o ato de morder coisas muito duras ou de apoiar a mandíbula com as mãos.

Como a maioria dos casos de DTM acontece por conta de estresse e ansiedade, que acabam fazendo com que o paciente tenho o hábito de pressionar a musculatura, manter mais controle de situações estressantes e encontrar maneiras de lidar com a ansiedade são ótimas formas de garantir menos tensão muscular e, consequentemente, menor desgaste na articulação.

Também é importante prestar atenção na postura do dia a dia, mantendo sempre a coluna ereta. Isso ajuda a evitar sobrecarga devido à atividade muscular incorreta e também garante a melhoria da saúde como um todo.

Lembre-se que desconfortos ocasionais na articulação do maxilar ou nos músculos na hora da mastigação é algo comum e sem motivo para preocupação. Inclusive, muitos problemas da ATM acabam melhorando sem a necessidade de tratamento quando são leves.

Porém, é preciso ficar atento para a regularidade do incômodo e repetição dos sintomas. Caso isso não seja algo passageiro, consulte um dentista para tratar a disfunção da melhor maneira possível.

Quais as consequências de postergar o tratamento?

Como vimos, todos os sintomas podem causar bastante desconforto na boca e regiões adjacentes da face. Por isso, se o problema não for tratado corretamente, ele pode evoluir e chegar a um estágio mais avançado.

Além da dor, a disfunção da ATM também afeta diretamente a qualidade de vida de um paciente, já que interfere na função mastigatória, causando incômodo nos músculos e criando grande fadiga deles. Em casos mais extremos, pode existir até mesmo o deslocamento da mandíbula, causando dor intensa ao indivíduo.

Além disso, por estar relacionada à ansiedade e ao estresse, essa disfunção consegue aumentar o “ciclo de dor”, termo que os dentistas especializados usam para se referir a um problema emocional que altera a contração da musculatura mastigatória, levando ao incômodo. Todo esse processo gera mais estresse, consequentemente, aumentando o desconforto.

Caso não seja tratada de forma correta, a disfunção da ATM compromete de forma severa as ações do dia a dia de uma pessoa, como comer, falar e mastigar.

Como realizar o tratamento adequado?

Agora que entendemos o que é a disfunção da ATM e suas causas, vamos conhecer os principais tratamentos para acabar com esse transtorno e fazer com que você fique livre da dor na região.

Placas de mordida

As placas de mordida são uma ótima solução para quem sofre de bruxismo e precisa conter a pressão causada na mandíbula. Elas têm como função principal a proteção dos dentes, aliviando as articulações temporomandibulares e relaxando os músculos da região.

São muitas as opções disponíveis atualmente, sendo a mais usada a placa estabilizadora lisa, indicada para os pacientes que rangem os dentes durante o sono. Apesar de a maioria das pessoas utilizar a plaquinha apenas durante a noite, dependendo do diagnóstico do especialista, é possível que ela seja usada durante 24h por dia ou em situações específicas.

Técnicas de relaxamento

Como a ansiedade tem papel importante na origem e avanço das dores crônicas e contração da musculatura, um dos tratamentos indicados na disfunção da ATM são as técnicas de relaxamento.

É claro que, nesse caso, as orientações serão sempre individuais e voltadas para a necessidade de cada um, sendo passadas pelo próprio dentista, fisioterapeuta ou psicólogo. O importante é que o paciente tenha ciência do que precisa ser feito e encontre um método que se encaixe na rotina e personalidade.

Medicamento

Dependendo do diagnóstico, em alguns casos, os especialistas podem indicar o uso de medicamentos anti-inflamatórios ou até mesmo relaxantes musculares. Além disso, a aplicação da toxina botulínica (botox), como barreira para a liberação de substâncias que causam a dor e alívio do maxilar, também é uma possibilidade cada vez mais usada.

Alguns médicos ainda podem prescrever anticonvulsivantes e antidepressivos, já que esses remédios atuam diretamente nas dores musculares crônicas controladas pelo sistema nervoso central.

Cirurgia

Apesar de muitas pessoas acreditarem que a cirurgia de ATM é o tratamento mais comum, esse procedimento é indicado apenas em casos específicos do transtorno.

Pacientes com fraturas, transtornos de crescimento, tumores ou outros problemas graves tendem a ser encaminhados para um procedimento cirúrgico de ATM. Nesses casos, os especialistas recomendam a adoção de uma dieta pastosa como tratamento pós-cirurgia. Isso quer dizer que será necessária uma alimentação que não force as articulações temporomandibulares.

Isso favorece a diminuição de microtraumas da região, acelerando a recuperação da pessoa. Porém, a mastigação com consistência variada é importante para o bom funcionamento dos maxilares. Por isso, essa medida é importante, mas não pode durar para sempre.

Termoterapia

Um método de tratamento bastante conhecido para as disfunções de ATM é a aplicação de contraste de calor na região. Será necessário usar compressas frias para acalmar o trauma, e compressas quentes, para conter as dores provocadas pela vasodilatação do local, eliminando as substâncias químicas que favorecem o quadro.

Seja qual for o caso, é importante aguardar pela indicação do profissional para realizar o procedimento.

Fisioterapia

O fisioterapeuta é um especialista que costuma trabalhar em conjunto do dentista em casos de disfunção de ATM. Ele pode usar aparelhos fisioterápicos para o tratamento ou até mesmo dar indicações de exercícios fisioterapêuticos para mobilização das articulações, tratando a disfunção e impedindo a progressão da dor.

Em casos mais complexos, pode ser necessário que outros especialistas ajudem, como ortopedistas, neurologistas, reumatologistas, fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas.

Laserterapia

A laserterapia é um tratamento que funciona por meio da bioestimulação dos músculos e pontos da articulação afetados pela DTM. Similar à eletroterapia e ultrassom, ela atua diretamente na dor do paciente. É claro que seu uso dependerá do diagnóstico e precisa ser acompanhado por um dentista.

Como a DTM é uma condição multifatorial (que pode ter várias causas) ela precisa ser tratada de forma multidisciplinar, com ajuda de vários especialistas dependendo do quadro do paciente. Por isso, é primordial procurar um profissional para observar e acompanhar o caso.

Somente profissionais devidamente habilitados podem diagnosticar essa disfunção, bem como indicar tratamentos e receitar medicamentos. Nunca deixe de procurar um especialista e não negligencie sua saúde. Isso pode gerar graves consequências.

Agora que você já sabe tudo sobre a disfunção da ATM, caso suspeite de que está sofrendo com esse transtorno, fale com o seu dentista de confiança e tire suas dúvidas sobre possíveis tratamentos que melhor se encaixam às suas necessidades. Assim, você garante alívio mais rápido e não sofre com dores na região.

Se você tem alguma disfunção e deseja mais detalhes, entre em contato com a Neo Face e marque uma consulta com um especialista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.